O que é a Revolução Científica? O termo Revolução Científica indica as profundas inovações ocorridas no campo da ciência, nas investigações inovadoras dos fenômenos naturais conhecidos, nas metodologias de pesquisas e na forma de admitir e validar os conhecimentos adquiridos, em que a observação, a experimentação e a verificação de hipóteses constituem critérios à fundamentação do conhecimento.

A Idade Moderna

A idade Moderna pode ser considerada o período das revoluções: a reforma, a revolução científica, a revolução francesa, a revolução industrial são termos que buscam retratar o espírito inovador que deu margem ao surgimento de um novo homem. Obras como Nova Atlântida e Novum Organum de Francis Bacon; Meditações de René Descartes; O Príncipe de Maquiavel e Utopia de Thomas Morus são alguns ícones da crítica aos dogmas medievais e a um velho conhecimento.

Ciência Moderna

O que é a ciência moderna? A modernidade se caracterizou por desenvolver o pensamento científico, com base em preceitos e fundamentos desenvolvidos de modo únicos no período. Nesse contexto, a disputa entre as teses platônicas e aristotélicas pareciam ser inevitáveis. Enquanto a primeira ressurgia como a possibilidade de renovar os caminhos do pensamento humano; a outra serviria ora de contrapondo às novas teses, ora como fundamento para surgimento de outras teses. As contribuições de Nicolau Copérnico, de Galileu Galilei e Francis Bacon são inestimáveis para a composição do panorama científico que se desenvolveu ao longo da modernidade.

Primeiro, Copérnico foi fundamental pois detona a mudança do modelo de mundo adotado até então. A mudança de paradigma provocou a inserção de outros pensadores em uma nova perspectiva de desenvolvimento do conhecimento.

Segundo, o pensamento de Francis Bacon sobre o método experimental. A partir de uma de leitura da natureza fragmentada em disciplinas das ciências, Bacon procurou demonstrar o bem que uma sociedade poderia ter ao aplicar a ciência como fonte dos benefícios na relação Estado-sociedade, comenta: ao produzir um novo caminho para o avanço da ciência e conseqüentemente o desenvolvimento de uma sociedade política e eticamente melhor.

Terceiro, a importância de Galileu na formação do pensamento científico moderno, em que ele estabelece os alguns princípios geométricos de análises e implementa o pensamento científico com observação e a experimentação nas suas investigações.

Assim, contraponto a teoria (atividade racional) ao empirismo (atividade a partir dos sentidos), no século XVI, a experimentação somada a outros aspectos transformam-se em um momento intrínseco da dedução teórica e de indução, ao associar teoria e prática, por meio de um conjunto de instrumentos e artifícios técnicos, o conhecimento científico começa a adquirir novos rumos. A ciência, assim, aos poucos, vai se convertendo de um conhecimento especulativo em um conhecimento demonstrável, em meio às descobertas e às demonstrações das leis naturais.